Sexta, 24 de Setembro de 2021
19 99746-0072
Política CPI do Covid

Ex-servidor diz que errou ao assinar notas sem ter recebido os medicamentos

Pivô da CPI do Covid se demite da Prefeitura e viaja para a Europa

15/09/2021 20h19
779
Por: A Estância
Ex-servidor diz que errou ao assinar notas sem ter recebido os medicamentos

O ex-servidor da Prefeitura de Avaré, Juarez Marchetti, foi ouvido pela segunda vez na CPI que investiga denúncias de superfaturamento na compra de remédios para tratamento de pacientes com a Covid-19.

Na oitiva, realizada no dia 14, foi utilizado o sistema de videoconferência. Juarez, curiosamente, se demitiu da Prefeitura em julho deste ano, e encontra-se na França. 

Considerado um dos pivôs do caso, ele foi novamente ouvido após uma auxiliar de farmácia da Prefeitura ter dito que, apesar de ter recebido somente 2.000 ampolas de Midazolan, assinou notas fiscais dando conta de que recebeu 6.000 unidades (doses) desse remédio.

 

Ex-servidor diz que errou ao assinar notas sem ter recebido os medicamentos

 

O ex-servidor Prefeitura de Avaré, Juarez Marchetti, admitiu que as notas foram assinadas sem que os medicamentos estivessem em poder da Secretaria da Saúde. Ele disse que foi um "erro" causado por "desespero".

Houve contradição também no destino das unidades de Fentamila: a servidora disse que não recebeu tais medicamentos, apesar de terem sido pagos; já Juarez garante que as doses chegaram no Pronto Socorro. 

Além das contradições, que estão sendo pouco exploradas pela CPI, a sessão de oitiva não foi comunicada à imprensa e nem aos vereadores da Oposição. Além dessas situações, já muito suspeitas, soma-se o comportamento curioso de um dos pivôs da CPI, que se demitiu da Prefeitura e viajou para a Europa.Europa.

Ele1 - Criar site de notícias